• O 1º Movimente-se

    Muito já foi discutido sobre a guerra às drogas e o quanto ela impacta na juventude das periferias das cidades brasileiras - especialmente, nos jovens negros. Só que poucas vezes essa juventude foi entendida como protagonista do debate, mesmo sendo a maior fonte de luta em seus territórios.
     
    É por isso que o Movimentos convidou jovens de cidades de todo o país interessados em discutir o tema no 1º Movimente-se: encontro da juventude periférica para discutir política de drogas, que rolou em dezembro de 2017.
     
    O encontro aconteceu na região metropolitana do Rio de Janeiro entre os dias 7 e 10 de dezembro de 2017. Durante quatro dias, os jovens ficaram imersos para trocar experiências sobre o impacto da guerra às drogas nas suas vidas e pensar ferramentas que ajudem a pautar esse debate dentro e a partir das favelas e periferias.
     
    Selecionamos 25 jovens de várias partes do Brasil, que tiveram suas despesas de locomoção, hospedagem e alimentação durante os quatro dias cobertas pelo encontro.
     
    Podemos definir o 1º Movimente-se como um passo inicial para entender não só a complexidade do tema, mas também as questões específicas trazidas de cada lugar. Mesmo vivendo sob a mesma legislação, jovens de regiões diferentes, estados vizinhos ou até de bairros distintos em uma mesma cidade estão submetidos a dinâmicas de violência completamente diferentes, muitas vezes sequer exibidas nas estatísticas.
     
    As periferias não podem seguir sendo pensadas apenas através da mira de um fuzil, muito menos continuar sendo tratada como território de conquista e ocupação, sem levar em consideração todas as vidas, histórias e trajetórias que fazem parte desses espaços, que contribuem com toda a cidade e movimentam o país no sentido mais literal da palavra.
     
    Pensar e construir junto com o bonde do Movimente-se só nos faz perceber que, mais do que nunca, precisamos nos conectar, nos organizar e exigir políticas públicas que nos enxerguem como solução e não como problema, garantindo o direito mais básico de qualquer civilização: o direito à vida.
  • Nossa galera

    Alane

    Reis

    Salvador - BA

    Fundadora da Revista Afirmativa, veículo da mídia negra baiana. Em outubro de 2014 foi selecionada para o intercâmbio Community Journalism, organizado pelo Consulado dos Estados Unidos no Brasil, e o Instituto Mídia Étnica (IME), em reconhecimento ao trabalho desenvolvido pela revista.

    Alécio Fernandes

    Fortaleza - CE

    Surfista, Educador Social, Produtor Cultural e Redutor de Danos; Criador do Coletivo Natora, movimento social que trabalha com arte e cultura no Bairro do Pirambu (Fortaleza/CE),

    Integrante do projeto Aqui tem sinal de vida, Artista/Palhaço e Artecientista da UPAC - Universidade Popular de Arte e Ciência do Rio de Janeiro.

    Ana Paula

    Rosário

    Salvador - BA

    Ativista do Odara Instituto da Mulher Negra (Salvador). Também é integrante da Articulação Nacional de Negras Jovens Feministas e ativista da Agência de Negras Jovens Comunicadoras - Yalodês (Salvador).

    Andreza Delgado

    São Paulo - SP

    Feminista Negra interseccional.. Anti-proibicionista e abolicionista penal.

    Ayana

    Omi

    Minas Gerais - MG

    Estudante de Pedagogia, idealizadora de um projeto que realiza grupos de estudo de intelectuais negras dentro da Universidade. Vice-presidente da Juventude da Coordenação Nacional de Entidades Negras de Minas Gerais. Desenvolve um projeto chamado Valores de Carolina, que propõe debates raciais e políticos para a juventude em privação de liberdade através da valorização da literatura, música e arte negras.

    Fran

    Silva

    Recife - PE

    Educadora Popular e Produtora Audiovisual. Organiza a Marcha da Maconha do Recife com o Coletivo Antiproibicionista de Pernambuco desde 2011. Em 2016 organizou o I ENCAA (Encontro Nacional de coletivos e ativistas Antiproibicionistas).

    Gabriel

    Fidelis

    Luziânia - GO

    Estudante de direito, militante das causas sociais, redigiu o texto que reflete a situação do Entorno de Brasília no relatório final da CPI do Assassinato de
    Jovens e é um dos coordenadores do Coletivo Vamos, responsável pela
    ocupação de um posto desativado da Polícia Militar e o transformando
    no primeiro ponto de cultura da cidade de Luziânia.

    Gelson Henrique

    Rio de Janeiro -RJ

    Ativista pelos direitos humanos. Estuda Ciências Sociais na Universidade Federal Rural (RJ). idealizador do CIJoga - Caravana Itinerante da Juventude,

    Gisele

    Motta

    Rio de Janeiro - RJ

    Graduada em jornalismo pela UFRJ, cursa mestrado em comunicação na UERJ.

    Fotógrafa, produtora cultural e professora de audiovisual.

    Higor

    Araujo

    Recife - PE

    Estuda Direito na Universidade Federal de Pernambuco e trabalha na Defensoria Pública do Estado de Pernambuco (DPPE), no setor de execução penal, lidando diretamente com o sistema punitivo e suas
    idiossincrasias. Realizou trabalho voluntário na Organização de Auxílio Fraterno do Recife (OAF), que desenvolve trabalhos educacionais e pedagógicos.

    Ícaro

    Jorge

    Salvador - BA

    Articula o Ocupa Preto, entidade que busca criar espaços de formação, e possui um projeto de Curso Popular visando à emancipação da população negra.

    Jaqueline

    Ribeiro

    Recife - PE

    Estudante de Serviço Social, faz estágio extracurricular na Associação de Pais, Amigos e Pessoas com Deficiência de Funcionários do Banco do Brasil e da Comunidade – Apabb PE. Realiza trabalho voluntario de apoio emocional, em uma instituição filantrópica.
    Ministra palestras em escolas sobre a depressão e o suicídio,

    Joyce

    Gomes

    Manaus - AM

    Trans e ativista dos movimentos sociais.

    Kassia

    Rapella

    São Gonçalo - RJ

    Compõe o Coletivo Batalha das Musas de emancipação das mulheres no Hip Hop (RJ), é co-idealizadora do movimento Isoporzinho da Prevenção, que objetiva a ampliação de acesso aos direitos e ao cuidado em saúde pelas juventudes em SG, e atua em outros projetos comunitários no mesmo município.

    Lívia

    Milena

    São Paulo - SP

    Assistente Social de formação, atuando com mulheres em situação de prostituição e Educadora Social. Pós-graduanda no
    curso de especialização em Direitos Humanos, Diversidade e Violência da Universidade Federal do ABC. Integrante do Coletivo de Oyá - Mulheres Negras da Periferia de SP. .
    Mobilizadora na Uneafro - Brasil,

    Lucas

    Costa

    São Paulo - SP

    Caslu. Graffiteiro, agente Cultural, representante do movimento Hip-Hop, faz uso da indispensável da Maconha, inclusive medicinal. Caslu é integrante de diferentes movimentos de luta e cultura, como EstiloLixo®, Mãesconhas Associação Cannábica Do Brasil, New Future Foundation Inc. e Universal Zulu Nation.

    Ludymilla Chagas

    Brasilia - DF

    bacharel em Relações Internacionais e secretariado executivo, Integrante do coletivo afroempoderado Primas, que reúne mulheres negras periféricas de diferentes cidades satélites e/ou do entorno da capital para levantar debates diversos sobre questões sociais.

    Pesquisa sobre Direito Humanos no âmbito internacional e a questão de gênero.

    Luiz Felipe

    Oliveira

    Belo Horizonte - BH

    Cria do Aglomerado da Serra-BH/MG, Publicitário de formação e empreendedor por vocação. Founder da DuMorro Design & Comunicação, negócio social que visa a fomentar o empreendedorismo e as ações de projetos de impacto em regiões periféricas por meio da comunicação. Membro do Global Shapers, uma iniciativa do Fórum Econômico Mundial formada por lideranças jovens mundiais.

    Nathália Florêncio

    Fortaleza - CE

    Graduada em Direito, militante de direitos humanos, sobretudo Direitos da Infância e Juventude, favelada e preta.

    Patrick

    Botelho

    Rio de Janeiro - RJ

    Psicólogo, mestrando em Psicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Participou como extensionista no projeto "Construindo um processo de escolhas mesmo quando 'escolher' não é um verbo disponível", na facilitação de grupos de Análise do Vocacional com jovens em estabelecimentos educacionais localizados em favelas da cidade do Rio de Janeiro.

    Priscila

    Duque

    Belém - PA

    Jornalista Multimídia, Mestre em Sociologia e Artista Popular. Milita nos Movimentos Sociais, tendo passagem pelo Movimento Estudantil e de bairro, atuando, sobretudo, no Movimento Feminista.

    É co-fundadora da SubVersiva Produção Cultural Independente.

    Vitor Benevenuto

    Espírito Santo - ES

    Atua como psicólogo na Política Nacional de Assistência Social, no
    CREAS. Vem desenvolvendo
    trabalhos na lógica de redução de danos e na perspectiva ético-política voltada ao cuidado.

    Wilbert

    Santos

    Fortaleza - CE

    Membro do Coletivo Bonja Roots, Desde fevereiro de 2016 vem concretizando e militando pelo direito
    à cidade e à ocupação do espaço público afirmando e existindo em meio a tanto
    preconceito racial e social. Acredita no dialogo,

    William

    Correa

    Rio de Janeiro - RJ

    Professor de Biologia e mestrando em educação. Também inserido na cena artística como poeta, participante de slam (slammer), rapper e organizador (slammaster) do primeiro Slam do bairro de Vila Isabel.

  • Convidados

    Dênis Petuco

    Cientista social com

    mestrado em Educação

    Ingrid Farias

    Feminista Antiproibiconista

    (Renfa)

    Rhaysa Ruas

    Advogada

    Pedro Abramovay

    Open Society Foundations
  • Movimente-se

    Encontro nacional de jovens e periferias brasileiras.
    All Posts
    ×